quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Feira de Jardinagem mediterrânica. Dia 1 de Novembro em Estoi



Dia 1 de Novembro, Sábado, entre as 11.00h e as 16.00h,  irá decorrer nos jardins históricos da Pousada do Palácio de Estoi, a sexta edição da feira de jardinagem mediterrânica promovida pela associação portuguesa de jardinagem mediterrânica.

Em conjunto com a Sigmetum, iremos estar presentes num dos poucos eventos que em Portugal se dedicam exclusivamente a promover o potencial ornamental da nossa flora espontânea. E que é, apesar de estarmos virados para o Atlântico, uma flora de matriz mediterrânica.

Mas se esta feira já tem todos os requisitos para merecer uma visita, o facto de se realizar numa parte dos jardins históricos da Pousada do Palácio de Estoi, que normalmente se encontra encerrada ao público, é um motivo adicional. 

A propósito e para quem não conhece, o Palácio de Estoi, onde hoje está instalada uma Pousada de Portugal, é um dos expoentes da arquitectura civil algarvia, mandado erguer em meados do séc.XIX, em estilo rococó e com elementos a fazer lembrar o Palácio de Queluz.. Classificado como de interesse público desde 1977, por si só merece a deslocação!

Mais detalhes, aqui no blogue da Associaçao Portuguesa de Jardinagem Mediterranica.

sábado, 25 de outubro de 2014

Colheita de landes de carvalho-cerquinho em Ariques


Colheita de landes (bolotas) de carvalho-cerquinho, hoje em Ariques, Alvaiázare, num cercal centenário e que é realmente uma floresta a sério! Só por lá ter estado, já teria valido a pena!

Mas em pouco mais de 4 horas, seis voluntários colheram 8 sacos com cerca de 15 quilos cada. Se cada quilo tiver em média 350 sementes, serão perto de 42.000 árvores que poderão ser plantadas no próximo ano nos povoamentos do programa floresta-comum da Quercus!

A todos os voluntários que compareceram, Obrigado!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Floresta comum: colheita de sementes de carvalho-cerquinho em Ariques



Como escrevemos há algum tempo atrás, se há estação pouco monótona, essa estação é o Outono! É uma excelente altura para semear, mas também para colher. E se no âmbito do projecto sementes de Portugal há muito trabalho em mãos, também não queríamos perder a oportunidade de contribuir voluntariamente como colectores do projecto floresta comum da Quercus!

Nesse sentido e sob a égide da Quercus, associámo-nos com o João Forte, promotor do blogue Azinheiragate, dedicado à defesa do Natureza, Património e Cultura das terras de Sicó e Alvaiázere, e vamos organizar conjuntamente uma colheita de bolotas (landes; como são referidas pelas populações locais) de carvalho-cerquinho, ou carvalho-português, como também é popularmente conhecida esta espécie, autóctone do nosso território, Quercus faginea.

Será no próximo Sábado dia 25 de Outubro, com ponto de encontro nos Bombeiros Voluntários de Ansião pelas 10.00. 

O local onde irá decorrer a colheita, a alguns quilómetros, é simplesmente uma preciosidade desconhecida do nosso património. Cercais ( que é o nome dos bosques de carvalho cerquinho) e Azinhais no sopé da vertente ocidental da serra de Alvaiázare, que fazem parte da rede natura e que são um bom exemplo do que é, isso sim, uma floresta! Não de uma floresta virgem mas de uma floresta em que o Homem soube integrar-se em harmonia, dela tirando partido numa perspectiva sustentável e de longo-prazo. E que é fundamental conhecermos,  para de uma vez por todas pararmos de chamar floresta às monoculturas de eucalipto (nomeadamente!).

Só por isso vai valer a pena irmos até Ariques. Depois ainda há a mais valia de João Fortes estar connosco. Ninguém conhece Alvaiázere como ele e os conhecimentos que tem enquanto geógrafo e geólogo vão ajudar-nos a perceber a importância de preservar e usufruir destes territórios.

As inscrições podem ser feitas  junto de nós (918795885) ou do João Fortes (933124101) até ao dia 23, quinta-feira, pelas 18.00. De referir que a ideia é fazermos um pequeno piquenic no local e de que a Quercus realizará um seguro para todos os participantes.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Sementeiras de Outono com a Sigmetum


Há pouco menos de um ano fizemos as primeiras experiências de germinação e este ano voltámos a semear com a Sigmetum

Para além do enorme privilégio que é poder contarmos com a ajuda e experiência de uma equipa pioneira na produção de plantas autóctones em Portugal, estas sementeiras são para nós de extrema importância. Não só irão possibilitar-nos um melhor conhecimento do processo de germinação de diferentes espécies, como também comprovar a qualidade germinativa das nossas sementes.

Mas a experiência não se esgotará por aqui. Uma vez germinadas, muitas plântulas continuarão a ser acompanhadas  pela Sigmetum no seu trabalho de exploração e experimentação do potencial ornamental da nossa flora autóctone!

Ao longo dos próximos meses contamos partilhar convosco a evolução das diferentes sementeiras.

domingo, 12 de outubro de 2014

Chegou o tempo de semear!

Existem Outonos melancólicos!? É possível, mas se nos focarmos no que nos rodeia é improvável que o sejam. Nem melancólicos nem monótonos. Pelo contrário, sao quase três meses ( dois, se descontarmos a azáfama das compras de Natal), em que não há mãos a medir. 

Não só é a altura em que muitas sementes e frutos da época têm de ser colhidas. É também uma das melhores alturas para deitarmos as sementes à terra e testemunhar que a temperatura e a humidade destes meses são as adequadas para a germinação das sementes.

O nosso projecto aposta em diversas novas perspectivas. A mais importante, é a de que é possível devolver a todos nós a flora autóctone. Uma outra, não menos importante, é a de dessacralizar o acto de semear. De facto requer alguns conhecimentos, mas nada que um pouco de amor e bom-senso não ultrapassem. Semear é preciso e é possível!

Com a ajuda da dupla Lina&Nando, criativos da imagem do nosso projecto, criámos um medalhão a colocar junto dos expositores das nossas sementes. Não é que ele não seja já suficientemente bonito, mas nesta matéria todas as armas de promoção são necessárias e bem vindas!

Ao longo dos próximos dois meses iremos partilhar convosco algumas das coisas que temos vindo a fazer ou que já planeámos fazer. Desde colheitas de sementes até a algumas sementeiras. Como verão, tudo coisas ao alcance de qualquer um de nós. Mesmo que vivamos num apartamento. E que só por distracção deixámos de fazer. 

Afinal de contas, se pensarmos que o Homem se relaciona com a Natureza há largas dezenas de milhar de anos e de que a revolução agrícola teve início há 10.000 anos, não serão os últimos 50 anos de urbanização e "insensata" hiper-especialização,  que nos podem impedir de colher, semear e germinar sementes! Está nos nossos genes!

terça-feira, 7 de outubro de 2014

As sementes de Portugal estão em Ponte de Lima


Se Tavira tem uma ponte romana linda, o que dizer da de Ponte Lima! Mais não houvesse e a ponte medieval de Ponte de Lima já justificava plenamente uma visita. Só que há muito mais para ver e admirar naquela que é conhecida por ser a vila mais antiga de Portugal. 

No coração do Minho, Ponte de Lima é paragem obrigatória. Um centro histórico impecável que não descurou o avançar do tempo e uma terra que percebe bem a importância do que a rodeia. O Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima, a paisagem protegida, de iniciativa municipal, das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro de Arcos, assim como os inúmeros jardins que existem na vila, como o do Parque Temático do Arnado, na margem direita do rio Lima, são apenas alguns dos pontos de visita obrigatória. E que são um bom exemplo de como um município pode ter uma politica e uma estratégia ambiental.

Mas Ponte de Lima não compete só por ser a vila mais florida de Portugal. Tem nos seus genes ser uma terra rica de humanidade, que se revela no seu imenso património cultural, nas suas tradições e no seu artesanato. E nesta matéria não temos duvidas: A melhor e mais bonita loja de artesanato de Ponte de Lima e do Minho é a Loja do Pote. 

Depois de um passeio por Ponte de Lima e arredores, e de um café numa das esplanadas do Largo de Camões, a passagem pela loja do Pote é incontornável para todos os que pretenderem levar consigo um pouco do que é genuíno desta terra!